23 outubro 2007

Medo do escuro

Nos fins de tarde daqui o rapaz do triciclo cor-de-laranja pisa o mundo a três rodas e puxa dos bolsos raios de sol. Nunca se queima. É uma buzina infantil com riso de gente nas linhas contínuas da estrada. O Outubro mora-lhe a tiracolo e demora um dente de leite a ser Novembro. Aqui em cima, na janela do 6º frente, o mapa mundo só mede um jardim. E os continentes são mais do que cinco e estão cobertos de carrinhos de supermercado.

- "Ó Zé, sobe que é para jantar!"

Pedi-lhe boleia. Ao rapaz do triciclo cor-de-laranja que nunca se queima. Mas como não cheguei a abrir a boca, ele foi jantar.
Aqui a noite leva as crianças. E as ruas arrefecem em sentido contrário. Com medo do polícia que vive no isqueiro.

18 Comments:

At terça-feira, outubro 23, 2007, Blogger Vanessa said...

Sem palavras. :) *

 
At terça-feira, outubro 23, 2007, Anonymous Eduarda Sousa said...

lindo :P

 
At terça-feira, outubro 23, 2007, Blogger curse of millhaven said...

:D

tb eu tive um triciclo...lol
mas n era cor d laranja, era preto.

 
At terça-feira, outubro 23, 2007, Blogger Sasá said...

gostei do teu cantinho..
Posso entrar?

;*

ssalmeida.blogspot.com

 
At terça-feira, outubro 23, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Sasá:

Entra, entra!!
Deixa a porta aberta.. :)

 
At quarta-feira, outubro 24, 2007, Blogger Betty Coltrane said...

Muito bom, mesmo... tens de facto um verdadeiro talento.. parabéns! =)


beijoca!

 
At quarta-feira, outubro 24, 2007, Blogger Maria del Sol said...

O meu era vermelho com as rodas azuis. E fazia-me sentir capaz de dominar qualquer veículo, até descobrir que nunca conseguiria equilibrar-me numa bicicleta. Tenho pena que não haja tricilos para adultos.

Beijinhos! :)

 
At quarta-feira, outubro 24, 2007, Blogger O Profeta said...

Tens magia nos sentires...

Beijinho

 
At quarta-feira, outubro 24, 2007, Blogger musalia said...

o mundo em sete voltas, no triciclo. pode ser. jantar, também. e dormir para sonhar outra vez com o mundo :)

 
At quarta-feira, outubro 24, 2007, Blogger Mateso said...

Um encanto.
Beijinho

 
At quinta-feira, outubro 25, 2007, Blogger Chris Rodrigues said...

Eu tb tenho medo desta polícia.
Bjs

 
At sexta-feira, outubro 26, 2007, Blogger Luna Tic said...

Entrei e fiz-me confortável... e agora não quero sair.
Escrita maravilhosa, palavras encantadoras e ideias deliciosas.
Parabéns pelo blog... tenho inveja da forma como escreves...

Saudalunações...

 
At sexta-feira, outubro 26, 2007, Blogger incomunidade said...

beauté... transferida para a incomunidade.

 
At sábado, outubro 27, 2007, Blogger Mar Arável said...

Gostei de a conhecer

Vou pedir-lhe boleia

Gostei

 
At segunda-feira, outubro 29, 2007, Blogger Silvia Randazzo said...

Lindo o que escreveu!
Bato palmas para você! ^^

 
At terça-feira, outubro 30, 2007, Blogger João Vasco said...

Percebes bem a ductilidade das palavras, são para ti pedaços de argila na mão de uma artesã
Bj

 
At terça-feira, outubro 30, 2007, Blogger kurika said...

Eu tive um triciclo que não era cor-de-laranja...mas que me deixa lembranças cor-de-rosa.

Era daqueles que antigamente se faziam...sem limar arestas para não magoar, eram de materiais pesados como o ferro e a madeira...e não de borracha...e nós apesar das quedas e dos joelhos esfarrapados, não nos magoávamos...divertiamo-nos, como agora não.

Tinha saudades da tua agilidade na escrita e da doçura da tua mensagem.

Um xi

Tudo de bom

 
At segunda-feira, novembro 19, 2007, Blogger CNS said...

Fiquei aqui, de cabeça entre os dedos, com os olhos perguindo o rasto do triciclo cor-de-laranja. E a imaginar essa noite, fria, sem vozes de criança.
É bom (re)visitar estas estórias-que-de criança-não-têm-nada.

Um beijo grande

 

Enviar um comentário

<< Home