02 novembro 2006

___L___I___N___H___A___

E com um bocejo delicado, zás!
Ela escorregou pelo caderno fora
e deixou-se dormir no branco.

A linha do comboio saltou numas pernas dentro da_____
linha da agulha que estava espetada nos olhos da_______
linha do horizonte que morria azulada na tela da_________
linha do artista que ia sendo traçada quando a______________
linha do telefone estivesse cortada pelos sinais da______________
linha da mão que era desvendada na boca da____________________
linha do anzol que morria pescada ao ver a donzela que na
linha do linho fiava sentada.________________________________

Por isso a linha sonhava.______________________________
Porque acordada era infinitamente triste. ___________
Então agarrava-se às letras num sono profundo,__
e cosia-se a elas para não morrer sozinha.__

Fim-de-linha

11 Comments:

At quinta-feira, novembro 02, 2006, Blogger pensamentos_vagabundos said...

e que fim de linha esse...
beijo vagabundo

 
At quinta-feira, novembro 02, 2006, Blogger Vanessa said...

Uma coisa: fantástico! :)

Beijinhos*

 
At quinta-feira, novembro 02, 2006, Anonymous bu said...

Bonito isso que escreves-te...
eu sou mesmo como a linha infinitamente triste acordada mas ainda assim agarrada às letras...

vim cá agradecer-te a visita no meu cantinho.
*

 
At quinta-feira, novembro 02, 2006, Blogger mfc said...

Por vezes a ficciona-se a realidade, para que a possamos transmitir como tal, já que seria doloroso demais aceitá-la como real.

 
At sexta-feira, novembro 03, 2006, Blogger Tina said...

acho que, pela forma como escreves, nunca haverá fim de linha para as tuas palavras. adorei. extraordinário

 
At sexta-feira, novembro 03, 2006, Blogger Isabel said...

Adro quando escreves assim: uma séria brincadeira com as palavras.
Muito, muito bom!
Gostava que lesses a história que comecei a escrever e me desses a tua opinião que muito prezo.

Isabel

 
At sexta-feira, novembro 03, 2006, Blogger Uma mulher said...

vc me passa um certo ar de mistério...

beijos.

 
At sexta-feira, novembro 03, 2006, Blogger Bruna Pereira said...

Alberto Caeiro disse:
 
"O único mistério do Universo é o mais e não o menos. 
Percebemos demais as cousas — eis o erro, a dúvida.  
O que existe transcende para mim o que julgo que existe.  
A Realidade é apenas real e não pensada."

Mulher, não queiras perceber as coisas, elas saem porque têm de sair, mais nada.

Um beijinho,
volta sempre. :)

 
At sexta-feira, novembro 03, 2006, Anonymous Jofre Alves said...

Blogue duma estética irrepreensível, comprometido com a beleza da vida, a merecer mais e constantes visitas no futuro. Gostei imenso desta página elegante. Bom fim-de-semana.

 
At sexta-feira, novembro 03, 2006, Blogger .joana. said...

Ola, Bruna. O Hugo disse-me que estas a viver em lisboa. Eu tambem. Se quiseres, podemos marcar um encontro. Para trocar palavras :) Beijinho e obrigada por teres deixado um comentario no borras!

 
At sexta-feira, novembro 03, 2006, Blogger .joana. said...

O meu mail é joana.beleza@gmail.com :)

 

Enviar um comentário

<< Home