04 abril 2007

O tesouro enterrado

A lua tem o teu cheiro. Às vezes. Às vezes não. É só Lua. Tua. Fotografia antiga tirada a sépia que guardo no céu para que ninguém ma roube com pés de gigantone de Feira Medieval. As marés teimam em esconder-ma nos Quartos e na Lua nova. Mas a sala é grande e a velhice sabe esperar pelos eclipses. Venham as marés. Venham elas.
Porque o mar tem muita areia, mas o mar é sempre grande.
Cabe lá tudo.

11 Comments:

At quarta-feira, abril 04, 2007, Anonymous Anónimo said...

Ocasionalmente, confundo cardiologia com a hidrografia das memórias. Mas não sou médico, apenas um pouco imenso de louco :) E assim fica o registo de mais um tesouro perdido.
Resta dizer aquilo que não me canso de repetir a mim mesmo: lindas palavras!
Obg, luis

 
At quarta-feira, abril 04, 2007, Anonymous domquixote said...

tu nem sabes a imensidade de coisas que cabem na palma da mão :)
bonito.

 
At quarta-feira, abril 04, 2007, Blogger marta r said...

Aqui vai um abraço com o tamanho do mar...

 
At quarta-feira, abril 04, 2007, Blogger Menina dos olhos de água said...

:)

(É a única coisa que te consigo "dizer" agora...)

Beijinho amiga!

 
At quarta-feira, abril 04, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Andreia:

Não precisas de dizer nada agora.
Já me disseste muito antes.
Guarda palavras para amanhã, quando eu vier a precisar delas...

:)

 
At domingo, abril 08, 2007, Blogger Stranger à la carte said...

tive akiiiiiiiiiiiiiii...onde o mar é mais azul :) e o riso vem do sul

 
At segunda-feira, abril 09, 2007, Blogger Clarissa Felipe said...

No mar cabem todas as coisas... Cabe tudo lá.
Perfeito.

Sempre saio daqui com um sorriso, satisfação garantida.

Beijinho. ;)

 
At segunda-feira, abril 09, 2007, Anonymous a dona da história said...

e a melhor coisa não é mesmo a imensidão???
do mar... to tempo... de todos os eclipses que ainda estão por vir...

 
At segunda-feira, abril 09, 2007, Blogger Mikas said...

Gosto muito da lua, gostava de conhece-la

 
At quarta-feira, abril 11, 2007, Blogger musalia said...

sonhamos o mar e o mar é o próprio sonho...
:)

 
At quinta-feira, abril 12, 2007, Blogger o alquimista said...

Na imensidão do reino de Neptuno nascem todos os sonhos, desponta o arco iris...


doce beijo

 

Enviar um comentário

<< Home