01 fevereiro 2007

Desabafo

O lago seria verde do lodo. E verde seria o campo do lado. Mil flores de limoeiros de pé verde. Verde na terra. Verde na água. O vale seria verde, como no filme. O vento viria de força e faria voar os chapéus de fita verde das senhoras que estariam no quadro da sala. A sala seria verde, como a fruta por amadurecer na cesta. E à entrada da porta não haveria uma frase que lembrasse o bom Cesário, o Verde:

"Nas nossas ruas, ao anoitecer,
Há tal soturnidade, há tal melancolia,
Que as sombras, o bulício, o Tejo, a maresia
Despertam-me um desejo absurdo de sofrer."

16 Comments:

At quinta-feira, fevereiro 01, 2007, Blogger marta r said...

Grande e tão incompreendido Cesário....

 
At quinta-feira, fevereiro 01, 2007, Blogger musalia said...

o poeta que pintava a cidade com palavras...

'how green was may valley'...

:)

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Blogger Chris said...

Sempre especial.
Este texto está a lembrar o filme "A Dama das águas" (nome aqui no Brasil) exibido há pouco tempo.
Bjos
Chris

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Blogger Claire said...

O verde é uma cor interessante, muito melhor que o amarelo, aliás.
O desejo absurdo de sofrer é incompreendido, mas todo mundo tem e não adianta negar.
Pra quê serve o drama?

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Blogger nibs said...

Gosto mais do teu verde do que do Cesário.
:)

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Blogger Avusa said...

e o verde, já usas?

;)

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Avusa:

Ó menino Avusa, eu sempre usei verde... Amarelo é que é só às vezes.
Tenho dito.

:)

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Blogger A dona da história! said...

"Nas nossas ruas, ao anoitecer,
Há tal soturnidade, há tal melancolia..."

me lembram os anoiteceres de fim de férias... ou os dias pacatos do interior...

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Blogger Vanessa said...

O verde fica-te bem. :)

Beijinhos*

 
At sexta-feira, fevereiro 02, 2007, Anonymous Sofia-Sama said...

Olá passei cá apenas para dizer que adoro o tu escreves, é tudo realmente muito bonito.
Bjs Sofia-Sama

 
At sábado, fevereiro 03, 2007, Blogger kurika said...

Bonequinha verde, e de todas as cores do arco-íris...tu és uma doçura.

Que bom poder "brincar" com uma boneca assim...e como todos nós somos marcados pelas nossas bonecas/brinquedos...há sempre uns que nunca esquecemos...como tu!

Um xi

 
At segunda-feira, fevereiro 05, 2007, Anonymous ferrus said...

qual a cor da alegria?
a da noite prateada
ou a do raiar do dia?
todas, menos a cor magoada!

se azul dá dor
ou o vermelho a mágoa
então que seja a do amor:
a cor verde água.

Adorei o teu escrito...lindo!
Beijinhos...

 
At terça-feira, fevereiro 06, 2007, Blogger Bela said...

Tanto verde...para pôr num canto a soturnidade, a sombra!

Bjs

 
At quarta-feira, fevereiro 07, 2007, Blogger Cusco said...

Olá, prazer em conhecer-te. Na procura de boa prosa cheguei aqui. E gostei muito do que li. Vou voltar com mais tempo. Tu mereces...

Até breve
SE DEUS QUISER

 
At quarta-feira, fevereiro 07, 2007, Blogger Mikas said...

Oioi

 
At quinta-feira, fevereiro 08, 2007, Blogger Tina said...

Verde... de tanta coisa, de esperança, de sorrisos, de frescura, de mil e um gestos sentidos...

 

Enviar um comentário

<< Home