09 janeiro 2007

Caleidoscópio

Os olhos castanhos quando choram ficam todos enlameados.
Por isso, há que aproveitar sempre os dias de sol para plantar couves: couves para caldo-verde, couves para cozido à portuguesa, couves para batatas cozidas com couves, couves para serem couves e terem lagartas das couves.
As lagartas das couves que se arrastam com o seu meio corpo mole de cada vez são bonitas de se verem. Às vezes, quando se abana a folha da couve, elas caem na terra castanha e morrem com os olhos.
(Há pessoas monstruosas nos dias de sol.)
Mas a culpa toda é dos olhos castanhos, porque não são azuis.
E não têm aquários com peixes lá dentro.

24 Comments:

At terça-feira, janeiro 09, 2007, Blogger Claire said...

Mas pense bem: sem olhos castanhos, sem couve, e sem a simpática lagarta. E sem olhos azuis, sem peixes. É tudo um ciclo. Roda Celta da Existência. Mundo cíclico. Filosofia oriental e essas coisas todas.

Acho que não entendi..rs

Ah, depois que perguntei deduzi o que era IURD, mas obrigada mesmo assim. :)

 
At terça-feira, janeiro 09, 2007, Anonymous ferrus said...

Os olhos castanhos são da cor da terra.
Na terra se plantam as couves que são verdes ( esperança )
No mar a esperança veste-se de azul...
Eu tenho olhos castanhos com verdes plantados.
Condenem-me, então, porque só são castanhos.

Tu fazes-me pensar e de que maneira...
Ainda me dá alguma coisa pelo esforço. :-)
O que tu escreves...
Beijinhos

 
At terça-feira, janeiro 09, 2007, Blogger o alquimista said...

Pois amiga, há olhos castanhos que quando choram transformam o castanho em verde, o ódio em ternura, o mundo numa coisa melhor...

Doce beijo

 
At quarta-feira, janeiro 10, 2007, Anonymous Mikas said...

Eu tenho verdes, azuis... é conforme o dia...

 
At quarta-feira, janeiro 10, 2007, Anonymous Anónimo said...

Tenho olhos castanhos…
:(

beijos

 
At quarta-feira, janeiro 10, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Gosto bastante das interpretações que me vão aparecendo aqui. Pelos vistos, digo mais coisas do que as que julgava dizer ao escrever os textos.

Um sorriso para todos vós :)

 
At quarta-feira, janeiro 10, 2007, Blogger Bela said...

Adorei o teu espaço...
Usas as palavras com magia, originalidade :)

Um sorriso desgrenhado para ti ;)

 
At quarta-feira, janeiro 10, 2007, Anonymous Anónimo said...

;)

 
At quarta-feira, janeiro 10, 2007, Anonymous Anónimo said...

E sabias que os olhos castanhos, quando choram, sabem ser sinceros?

Beijinho*

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Anonymous mr m. said...

é tudo culpa desses olhos castanhos.. malditos!

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Blogger marta r said...

Estes olhos castanhos aqui ficaram com fome de couve no cozido à portuguesa...

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Blogger Isabel said...

Bonito e curioso o teu olhar sobre os nossos olhos.

Os meus olhos são castanhos esverdeados

Tem peixes de todas as cores lá dentro.

Tem lagartas que os meus olhos transformam em borboletas.

tem borboletas que os meus olhos transformam em lagartas.

Tem couves.
tem algas.
Tem feijão verde.
Tem lindas plantas carnivoras.

Tem sol
Tem lama
Tem lágrimas coloridas
Tem riso
Tem rios e mares e marés

Tem vida e tem morte
Por vezes vivem por vezes morrem
As vezes dão vida ás vezes matam

Tem pessoas mostruosas
Tem monstros pessoais

Tem tudo estes meus olhos mas o tudo é pouco e ainda cabe cá bem mais.

Olhos sofregos de olhar e ver estes meus...


Até breve.

Isabel

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Blogger pensamentos_vagabundos said...

que dizer sobre os olhos castanhos...que são os meus!!!
heheheh
beijo vagabundo

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Anonymous Anónimo said...

Sentei à minha mesa
os meus demónios interiores
falei-lhes com franqueza
dos meus piores temores

tratei-os com carinho
pus jarra de flores
abri o melhor vinho
trouxe amêndoas e licores

chamei-os pelo nome
quebrei a etiqueta
matei-lhes a sede e a fome
dei-lhes cabo da dieta

conheci bem cada um
pus de lado toda a farsa
abri a minha alma
como se fosse um comparsa

E no fim, já bem bebidos
demos abraços fraternos
saíram de mansinho
aos primeiros alvores
de copos bem erguidos
brindámos aos infernos
fizeram-se ao caminho
sem mágoas nem rancores

Adeus, foi um prazer!
disseram a cantar
mantém a mesa posta
porque havemos de voltar.


Só porque hoje me disseram que dentro dos olhos castanhos estavam os melhores demónios interiores. Fiquei a pensar se não serão os olhos castanhos os mais transparentes...

Fazemos a festa depois do medo. Para depois ter medo outra vez. Mas não faz mal. Sabemos nadar nas lágrimas. E ainda pomos os demónios interiores a apanhar sol.

Beijinhos*

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Blogger o alquimista said...

Passei para te deixar um carinho...

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Blogger elsa nyny said...

Olá!!
passei por cá!!
Não deixes que re magoem!Sê tu mais forte que a mágoa, acredita na força do amor que tudo vence, se vires tudo e todos com os olhos do amor, vais ver que vais conseguir superar a mágoa!
Os teus olhos são lindos!! Não importa a cor que eles têm, os olhos são só e apenas o reflexo do que nos vai por dentro, acredita!!!
Deixo-te uma frase de Saint Exupery, pensa nela todos os dias, em tudo na tua vida:
"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisivel aos olhos"

Muita Força para ti!!!
Beijinhos!!!
:))

 
At quinta-feira, janeiro 11, 2007, Blogger Natalie Afonseca said...

Meus olhos castanhos
de encantos tamanhos

..hehe!!
Olhos castanhos são tão líndos!
E eu tenho peixes nos meus!

Gostei do teu cantinho!
:)))

 
At sexta-feira, janeiro 12, 2007, Blogger PAULO SANTOS said...

Um beijo longo cheiinho de saudade!!!
è sempre muito bom, muito bom mesmo vir aqui a teu espaço!!!
Desculpa o egoísmo..mas hoje retiro para mim mesmo o comennt que ia escrever aqui...
Adorei o texto e fez-me viajar numa lição que nunca quero aprender...
Mas guardo tudinho para mim... Só hoje!
Prometo!

teu amigo

Paulo

 
At sexta-feira, janeiro 12, 2007, Blogger Professor said...

Ora aqui está um texto amigo da Natureza. Altruista, não pensa só no valor económico das couves para os humanos, pensa nas lagartas, nas belíssimas lagartas das couves!
Olha, Bruna, vou falar com as minhas amigas lagartas das couves e no próximo 10 de Junho, o Sr. Silva vai condecorar-te com a "Grã Cruz da Ordem da Pieride Dourada". É o minimo que o país pode fazer por quem manifesta tanto amor por uma borboletinha branca ponteada de preto em potência.
Beijinhos leves como poalha dourada de asa de mariposa.

 
At domingo, janeiro 14, 2007, Anonymous Anónimo said...

Deixa-me te dizer que gosto muito da maneira como jogas com as palavras...gosto de como escreves...gosto de te ler...

Bjinho do Catano

 
At domingo, janeiro 14, 2007, Blogger kurika said...

Olhos castanhos são os meus...

Têm peixes de todas as cores...

...e gostam de ver-te e ler-te...!!!


Um grande beijinho

 
At domingo, janeiro 14, 2007, Anonymous Pecola said...

E lá diz a canção... olhos castanhos são pecados de alguns. Resumindo e concluindo: chorar para quê? ;)

 
At quinta-feira, janeiro 18, 2007, Anonymous jorge said...

Simplesmente... lindo!

 
At sexta-feira, janeiro 19, 2007, Anonymous jorge said...

quando choro
todos os rios do mundo chovem no meu rosto
todos os amores represados desaguam no meu corpo

todos os amanheceres me anoitecem no olhar

por isso
aqui fico
navio soterrado na margem

assim
de braços calados

sem lágrimas


Jorge Casimiro

 

Enviar um comentário

<< Home