27 fevereiro 2007

O mundo de açúcar

Era um mundo habilmente fechado num saco de plástico que dedinhos de unhas roídas seguravam enquanto o tempo baloiçava transparentemente nos bolsos rotos. As nuvens espalhavam açúcar nas cabeças dos tubarões verdes e penteavam-se de mais cores que branco, porque as nuvens nunca são só brancas. Havia cerejas deliciosamente azuis que amadureciam sem árvore de fruto e cobras às riscas que serpenteavam nas mãos sujas dos meninos famintos do intervalo da escola. Eles pulavam com desejos de mola de colchão

Para lá...
... para cima.
Para cá...
... para o chão.

A ilusão. Tudo cabia naquela mistura promíscua de sonhos e aventuras de outrora onde os aviõezinhos roxos voavam muito muito alto e colidiam depois com lacinhos cor-de-rosa e ovos estrelados à pressa numa sertã de laranja-esponja com aspecto de algodão doce.
E se fosse. E às vezes era, porque explodiam alí muitas estórias abafadas em pozinhos açucarados que saíam de caixinhas de plástico (que a senhora do avental retirava amavelmente com a sua pinça metálica) para morrerem nos nossos dentes de leite, quando ainda os tínhamos presos à boca.
Mas a escada para esse mundo continua um mistério em degraus.
Porque aquilo eram só gomas.
E as gomas não contam estórias de elevador.
Só dão pulinhos na memória.

12 Comments:

At terça-feira, fevereiro 27, 2007, Blogger Avusa said...

já entendi porque gostas de Tim Burton!!!

Eu também…

 
At terça-feira, fevereiro 27, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Avusa:

Ainda bem que entendeste, porque não saberia explicar nada sobre este fascínio.

:)

 
At quarta-feira, fevereiro 28, 2007, Blogger marta r said...

Adoro estas tuas incursões ao imaginário infantil...

 
At quarta-feira, fevereiro 28, 2007, Blogger Vanessa said...

Que estória mais deliciosa! Nham nham!

Eu gosto de andar com o saquinho de plástico aberto e de dar gomas a quem passa por mim. Se são sonhos ou não, não sei. Mas que a vida fica mais doce, lá isso fica! Agora que os dentes de leite já não estão presos à boca, queres ver que os sonhos andam soltos por aí? Ai os malandros... :)

Mas deixa lá, também gosto de mistérios. E de subir escadas.

Beijinho grande*

 
At quarta-feira, fevereiro 28, 2007, Blogger Stranger à la carte said...

...o que eu gostava msm era dos lábios serem do mesmo tamanho que os ossos...e as amoras...



bj

 
At quarta-feira, fevereiro 28, 2007, Blogger nibs said...

e dps acham estranho q queiram alimentar-me só de gomas...

(devorei as tuas)

:)

 
At quinta-feira, março 01, 2007, Blogger Clarissa Felipe said...

Uia! Gomas!
Eu acho que as gomas são de um papel ainda muito importante na minha vida, mesmo que seja dando pulinhos na memória.

;)

 
At sexta-feira, março 02, 2007, Blogger joão marinheiro said...

Os pulinhos da memória. Tão lindos...

 
At sexta-feira, março 02, 2007, Blogger musalia said...

e as gomas...uma perdição! como, como e...fico enjoada, mas não deixo de comer:)

 
At domingo, março 04, 2007, Blogger pensamentos_vagabundos said...

adorei...:)
beijo vagabundo

 
At domingo, março 04, 2007, Anonymous Pecola said...

Guarda muito bem este texto, que é absolutamente precioso... :)

 
At quarta-feira, março 07, 2007, Blogger LuciaLourenço said...

A imaginação, o imaginário e a memória são coisas extraordinárias... invisiveis, imateriais, mas que nos tocam e nos preenchem de uma forma incrível...
Adorei esta tua pequena delícia!!
Beijo

 

Enviar um comentário

<< Home