14 maio 2007

Cantiga hipotética a um marinheiro


Por um marinheiro deitei meus brincos ao mar,
mas brincos afundam, não sabem nadar.

Por um marinheiro um lenço eu roubei
mas o vento levou-mo, já lenço não hei.

Veio a noite escura metida no breu
e deixei de ver o marinheiro meu.

Então, por um marinheiro arranquei um cabelo
escondi e enterrei-o no fundo do mar.
Quando o marinheiro decidir trazê-lo
na orla da espuma, na água a amainar,
então eu sei, voltarei a vê-lo,
o tal marinheiro
com sabor a sal.

23 Comments:

At segunda-feira, maio 14, 2007, Blogger veranna fer said...

me encanta teu blog,poesias muito bonitas..qdo der visite o meu!!!!

 
At segunda-feira, maio 14, 2007, Anonymous helder beja said...

lindo, bruna. muito lindo mesmo**

 
At segunda-feira, maio 14, 2007, Blogger Cristina Nobre Soares said...

Delicado como a espuma do mar...

 
At segunda-feira, maio 14, 2007, Blogger joão marinheiro said...

Porque será que gosto das palavras com mar e marinheiros...
Abraços deste lado do mar

 
At segunda-feira, maio 14, 2007, Blogger Chris said...

Ah, marinheiro...quem te ensinou a nadar?
Bjos

 
At terça-feira, maio 15, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

A todos:

O meu dia começa com um sopro de maresia...
Obrigada por tão belas palavras.

:)

 
At terça-feira, maio 15, 2007, Blogger Avusa said...

adoro o teu blog Bruna!

 
At terça-feira, maio 15, 2007, Blogger .j. said...

Enquanto o marinheiro não chega ao porto de Lisboa, será que nos podemos encontrar em terra? :)

 
At terça-feira, maio 15, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Joanita:

Claro que sim... Vou já tratar disso!

:)

 
At terça-feira, maio 15, 2007, Blogger Vanessa said...

[ ]

Speechless... atrevo-me a dizer que é o mais bonito que aqui li. (Opiniões...) :p

Beijinho*

 
At quarta-feira, maio 16, 2007, Blogger musalia said...

hmm...'pescador da barca bela/onde vais pescar com ela/que é tão bela ó pescador/
...não se enrede a rede nela/ tem cuidado ó pescador'

(lembraste-me Garrett)
;)

 
At quinta-feira, maio 17, 2007, Blogger Zé Ninguém said...

Por favor pergunte ao marinheiro se viu

http://absolutamenteninguem.blogspot.com/2007/05/special-one.html

 
At quinta-feira, maio 17, 2007, Blogger Rui Luís Lima said...

as imagens de um marinheiro navegam nas águas do mar, levando na sua memória o olhar da mulher que aguarda o seu regresso.
paula e rui lima

 
At quinta-feira, maio 17, 2007, Blogger Stranger à la carte said...

...a sal, daquele salgado??

 
At quinta-feira, maio 17, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Estranho:

Sim, a sal, daquele salgado...

:)

 
At quinta-feira, maio 17, 2007, Blogger Isabel said...

Que saudades de te ver brincar com as palavras... de sorrir contigo.

Adorei o : " já lenco não hei"
É um mundo tão teu...

Sinto-me uma privilegiada por poder sair de um mundo como o meu... e vir construir castelos de palavras no teu.

Sinto que gostas de me ter aqui e eu adoro cada visita tua...

És um sonho sabias?

Isabel

 
At sexta-feira, maio 18, 2007, Anonymous Anónimo said...

Quem não acha, professor, quem não acha :) (*)

É quase um mistério da vida, graças às forças superiores do destino (versão agnóstica de uma expressão sobejamente usada entre nós). Se não tivesse vivido a oportunidade de aprender a ler, dificilmente iria acreditar que este conjunto formado pelo alfabeto {abcdefghijlmnopqrstuvxz .!?*():} permite, com o devido talento, construir castelos. E por isso, deixo aqui o meu obrigado por este testemunhar distante. luis.

(*) in Professor Magalhães, Astrofísico.

 
At sexta-feira, maio 18, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Obrigada.
Obrigada.
Obrigada.

:)

 
At sexta-feira, maio 18, 2007, Blogger Mateso said...

Éa minha terceira tentativa de te postar um comentário...
...E o marinheiro acordou,
Na espuma salgada do mar
E, foi deitar-se na praia
molhada de desejo....
Esperando a onda húmida da vida!
Bjs.

 
At sexta-feira, maio 18, 2007, Blogger o alquimista said...

Por um marinheiro tanto mar de ternura...

Os teus pés são navegantes na espuma, o teu cabelo dança em descuidada ironia, suave viagem de ondulante onda em tua boca, duas sílabas sopradas em mágica melodia…

Bom fim de semana

Doce beijo

 
At domingo, maio 20, 2007, Blogger Tessa said...

Esse marinheiro me lembrou da "mulher do porto de San Blas".
Eu costumava ser ela, parada a espera do meu "marinheiro" que nunca voltou...

 
At segunda-feira, maio 21, 2007, Blogger Menina dos olhos de água said...

Perdi a conta às vezes que li e reli o texto. (Será porque gosto muito do mar e, consequentemente, de marinheiros). E só tenho uma coisa a dizer-te: muito bonito.

Um beijinho :)

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger mitro said...

Bravo!
Belo poema!

 

Enviar um comentário

<< Home