21 maio 2007

Noite de enganos

Desenrolou a meia de vidro e puxou-a delicadamente pela perna acima, com medo de se cortar nas mãos. Como se as meias fossem
lâminas de barbear,
facas de talho,
tesouras,
x-actos ou
estilhaços de espelho.

Dum espelho que lhe mostrava todos os dias que o que mais a fazia sangrar era que para os outros não passasse de uma puta. Deslizou o rímel pelos olhos ainda de menina e disse que "hoje é a última vez".
Mas nunca era, porque a vida não é como nos filmes: acontece todos os dias e assobia uma música de terror ao virar da esquina da rua onde algumas pessoas espreitam às janelas antes de irem tentar dormir.

26 Comments:

At segunda-feira, maio 21, 2007, Blogger Vanessa said...

Eu realmente não sei comentar uma coisa destas...

Beijinhos*

 
At segunda-feira, maio 21, 2007, Blogger Menina dos olhos de água said...

Não sei se a vida é como nos filmes (acho que às vezes até gostava que fosse...), mas que tem músicas de terror, lá isso tem...

(Para mim, um dos melhores ;) )

Beijinho!

 
At segunda-feira, maio 21, 2007, Blogger Cristina Nobre Soares said...

Pois é... a vida não é como nos filmes. Mas que raio...não é que os filmes às vezes são como a vida?
Fantástico, Bruna.

 
At segunda-feira, maio 21, 2007, Blogger musalia said...

essa descrição de 'ataviar' a máscara, recordou-me o filme 'ligações perigosas'.
tantas vezes sonhamos o mesmo filme que um dia, qwuem sabe, a personagem solta-se do ecran...

:)

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger Avusa said...

de cortar a respiração...

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Musalia:

Se algum dia as personagens dos filmes se soltarem do ecrã... Eu já tenho a minha escolhida!

:)

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger Rui Luís Lima said...

a vida não é um filme, mas nós somos os actores desse filme chamado "Sentimentos" e devemos ser nós a escrever o argumento, porque senão perderemos o sentido da vida.***
paula e rui lima

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger marta r said...

Tens toda a razão. A vida é isto tudo e é sobretudo uma noite de enganos cheiinha de assobios de terror mas também de olhos de menina...

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger mitro said...

Curto e doloroso, como se os meus pulsos tivessem encontrado essas meias de vidro...

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger Alba said...

A vida, de facto, não é como nos filmes, mas a tua escrita é tão visual, tão cinematográfica que ficamos a desejar conhecer o fotograma seguinte.

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Alba:

Obrigada....
Acho que fiquei corada.

:)

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger POETA VAGABUNDO said...

perfeito....
só consigo dizer isto...
pois nao precisavas de mais nehuma palavra para me deixares assim...
apaixonado por estas palavras...
beijo vagabundo

 
At terça-feira, maio 22, 2007, Blogger osondaxordeira said...

Obrigada polo teu post, aínda así a min segueme a gustas o rimel

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Anonymous srta processável said...

ainda bem que a vida não é um filme...
não haveria roteiro capaz de traduzir tanta vida... ;)

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Anonymous violador de versos said...

precioso,non teño mais palabras pra poder describir a sensación que produce,con esa musicalidade.

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Gosto muito destes novos ares galegos que pairam por aqui... Fazem-me sentir perto de casa.

:)

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Anonymous ferrus said...

Sangra da alma
e distribui amor
com asco e dor...

Sangra da alma
perdida, aflita,
a proscrita...

Sangra da alma,
magoada. Não luta,
A puta.


Adorei!!!

Beijinhos

PS. já tinha saudades...

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Blogger Bruna Pereira said...

Ferrus:

Saudades mútuas...
Belas palavras.

:)

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Blogger Bela said...

Sem comentários... :)

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Blogger Mateso said...

A gente , da vida que é, de todos nós,...
A vida,...da gente que é nossa,
Na tela rubra ... do mundo «opaco...
Um bj.

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Blogger Chris said...

Só mesmo da cabecinha de uma boneca de porcela poderiam surgir estas coisas. Bjos doutro lado do oceano.

 
At quarta-feira, maio 23, 2007, Blogger kurika said...

Olá Bruna, como é teu habitual, ofereces cálices de ternura nas letras que soltas e que juntas com tanto saber...

Parabéns

...e já sabes, és uma boneca linda...

Bjinhos

 
At sexta-feira, maio 25, 2007, Anonymous dYn@ said...

Realmente é um texto que nos deixa sem palavras. É cruel a realidade em que vivemos, mas é essa que temos e é nessa que temos de viver...
Parabéns!

 
At sexta-feira, maio 25, 2007, Blogger Stranger à la carte said...

A alma da boneca de porcelana hoje acordou feita de ponteagudas pontadas de arame, viradas para dentro.
Não te "conhecia"...e adorei.

BJ

 
At domingo, maio 27, 2007, Blogger joão marinheiro said...

Fortes as tuas palavras.
Engraçado um dia publiquei um poema a uma prostituta de estrada, uma estrada que conheces certamente, acho que durante mais de 10 anos me habituei a ver aquela mulher ali na berma de verão e de Inverno, à dias dei pela sua falta, será que foi a ultima vez? Que mudou de vida? Adoeceu? As perguntas ficaram a bailar enquanto prosseguia na estrada alheio aos dramas da berma de estrada...

Brilhante!

Abraço daqui junto ao mar com brisa fria de norte

 
At sexta-feira, junho 01, 2007, Blogger Tina said...

Impressionante... consegues sempre surpreender os teus ciber-leitores. Uma descrição extraordinária de um conjunto de momentos e de movimentos.

 

Enviar um comentário

<< Home